Total de visualizações de página

quarta-feira, 15 de março de 2017

**SILÊNCIO NO IN-FINITO DO SER** - PINTURA: Graça Fontis/POEMA: Manoel Ferreira Neto


Exercito pensamentos, ideias,
cuja intenção sine qua non
é o de excelência salto para o alto.


Voando no escuro
Real-izo a minha Arte,
Executo os Sonhos em mim trago:
uma canção, talvez grito altissonante,
Cumpre manter-me erecto,
Com mais objetivo perscrutar as minhas fendas,
Sondar-me as brechas.
Ter-me aqui, depois do voo
- onde? -
Cônscio da teia e da densidade deste chão.
Quando o pensar
Imprime gestos no ar,
Mov-imentando emoções,
A in-sustentável leveza do ser.


Dei-me em asas
Embebi-me em espaço
Projectei-me por inteiro em mergulhos,
Ampliando interiores fronteiras,
Do alto projectam-se como um sonho
No in-finito do Ser.
Quem quiser isto pre-senciar
Terá de enxergar
Além da alegria e da tristeza,
De um nome não sabido de todos,
Pronunciado pelo silêncio.


(**RIO DE JANEIRO**, 15 DE MARÇO DE 2017)


Nenhum comentário:

Postar um comentário