Total de visualizações de página

domingo, 31 de janeiro de 2016

*SAUDADE* - Manoel Ferreira


No clímax da saudade
Há dor a vencer
Há sofrimento a suprassumir
Há dúvidas e muito desejar
Há o que não sei dizer,
Há o que não sei expressar,
Há o que não sei falar.
No clímax da saudade
Alegria não há,
Prazer não há,
Felicidade não há
Não há sequer
Miríades de ínfimas alegrias.
Não há pecados, nem recados
No clímax da saudade
Longínqua,
Num lugar que não há,
Sem distância se estendendo,
Se esconde a razão da saudade
Em espaços não conhecidos, sabidos.



Manoel Ferreira Neto.
(31 de janeiro de 2016)


*AUSÊNCIA FRIA* - Manoel Ferreira


E quem me espera?
Me aproxima, a rua
Me con-duz, o portão.
Me orienta, a rampa
Me segue a trilha, o alpendre
Me recebe, a solidão.



E quem me espera?
Senão a sala quieta,
Senão a mesa vazia,
Senão o quarto às escuras,
Senão a cama sozinha,
Senão a janela fechada.



E quem me espera?
É a face ausente
É o olhar perdido
É o coração com batidas lentas
No adeus de mais um dia.



Manoel Ferreira Neto.
(31 de janeiro de 2016)


*AMADA AMANTE* - Manoel Ferreira


Mate-me...
Com a paixão de um abraço,
Com a violência de um beijo
E per-corra meu as curvas de meu corpo
Para se refugiar, esconder-se, exilar-se.
Não como um hediondo assassina,
Mas sendo amante como menina,
Na emoção de um hino,
No sentimento de uma sinfonia,
No tesão de uma ópera,
Me faz amor
Com a alma de uma carícia forte,
Com o espírito de uma ternura estonteante,
Com o instinto de um carinho desmesurado,
Des-arma-me todo
E sem razão, motivo, explicação,
Num barco de pirata
Leve-me para sempre.



Manoel Ferreira Neto.
(31 de janeiro de 2016)


*SE... ALMA DA VIDA* - Manoel Ferreira


Se no horizonte
Brilha o sonho dos desejos,
Êxtase da carne, volúpia do gozo,
No verbo do prazer
O corpo dança o fado do Ser
Amor,
Carinho,
Entrega,
Ternura...



Se no uni-verso
Cintila a luz das esperanças,
Querência do absoluto, clímax do divino,
No verbo lúdico dos sentidos
Sentimentos do eterno espírito do amor
Esplendem de carícias, toques
A sensibilidade da alma -
Carente de finitos e in-fin-itudes -
Alegria,
Felicidade,
Amor de sonhos do Verbo...



Se no alvorecer
As pétalas de rosas des-abrocham
O porvir da beleza, do belo
Estendidos nas sendas silvestres
Do pleno à luz das utopias eternas
Da verdade absoluta,
O perfume exalado ao deus-dará
Dos alhures do tempo apocalíptico
Na roda-viva do Ser,
No catavento da Con-tingência,
No redemoinho da Metafísica
Transcendente das Travessias imortais,
Iluminam de luzes fosforescentes
Os interstícios do abismo...



Se à luz das estrelas e luas
Na noite de buscas de re-nascimento,
Re-fazenda de idílios, sorrelfas,
A alma mergulha profundo nos interstícios
Do além,
Desejando a essência do espírito,
A luz que se esvaece no crepúsculo,
Estende seus raios,
Ainda que entre-brilhos de versos inconscientes,
Ao portal da eternidade,
Soleira da travessia,
Ângulo do zero obtuso,
Por onde con-templar
As ad-jacências do solene, sublime
Desejo da perpetuidade,
À mercê da posteridade
Que nasce das cinzas da morte e da vida
Na perspectiva primeva, secular, milenar
Da gêneses
Do Caos, Cosmos, Chronos...



Se, tempo incondicional do só fantasias,
O pleno, absoluto, verdade
Advem dos sonhos, esperanças, fé,
As con-tingências elevadas ao vir-a-ser
Das liturgias e cânticos do além-eterno,
Trans-elevado ao índice divino da gênese,
Trazem no bojo e algibeiras
O eidos da essência
- Verbo do Espírito,
Alma da Vida...



Manoel Ferreira Neto.
(31 de janeiro de 2016)


Son Dos Poemas Entrevista Manoel Ferreira



Entrevista Com Manoel Ferreira

@@ Sonia Son Dos Poem Gonçalves @@

1_________ Você ajudou a criar a tão famosa hoje Academia  Virtual de Letras, eu nem saberia se a presidente Ivoneide  não tivesse me contado e você me confirmado...
Merece ficar registrado su apassage m pela AVL , você saiu de boa, não é inimigo de ninguém?


## Manoel Ferreira Neto ##
- Não sou inimigo de ninguém não. No métier da intelectualidade, os meus inimigos congênitos são da Imprensa,  odeio a Imprensa e seus diretores de tabloides. Já proibi qualquer manifestação em  jornais  com o meu nome. Não pode sair nem uma foto em colunas sociais.

@@ Sonia Son Dos Poem Gonçalves @@
2_________Manoel Ferreira já sabemos que não é adepto da imprensa e por que esse asco e aversão aos jornalistas?

## Manoel Ferreira Neto ##
- Porque  são verdadeiros cretinos. Não estão interessados em jornalismo sério e verdadeiro. Querem apenas os patrocínios,  guardarem no bolso para tomarem whisky importado nos restaurantes,  almoços ou jantares luxuosos. O jornalismo mesmo não existe mais.

@@ Sonia Son Dos Poem Gonçalves @@
3________E posso publicar isso na nossa entrevista ou está dizendo apenas para mim

## Manoel Ferreira Neto ##
- Pode mencionar isto na entrevista sim. Sou sartreano,  minha vida intelectual é aberta a todos sem mentiras e omissões.


@@ Sonia Son Dos Poem Gonçalves @@
4________Sei que você é campeão de visitas no seu blog que já está chegando a 26.000 em menos de dois meses e no google você tem mais de 10.000 seguidores e mais de 3.000.000 milhões de acessos ao que acha deve esse sucesso todo?

## Manoel Ferreira Neto ##
- 10.982 seguidores. 3.204.88l visualizações no Perfil do Google. Mais de 24.000 visualizações no Blog.

  @@ Sonia Son Dos Poemas @@
5________Sim, responda a que atribui esse sucesso todo alcançado por tão poucos aos quais incluídos  e almejado por muitos?

## Manoel Ferreira Neto ##
Necessariamente sucesso acontece de um dia para outro. Jogos de interesses, ideologias. A obra mesma não responde por sucesso. Quer uma coisa mais que gratuita ela se chama Sucesso. Motivo de muitas melancias dependuradas no pescoço, rebolados exóticos pelas ruas e avenidas. As coisas não funcionam dessa forma. Recuso sucesso neste nível. Se hoje estou felizmente com esse reconhecimento dos amigos, leitores, por todo o Brasil, por todo mundo, só posso atribuir a uma coisa, a que realmente tem o seu sentido e é real. Fruto do nível que minha obra traz em si , valores literários e poéticos, filosóficos, os mais profundos, e muito trabalho, muita entrega. Com isso, veio o carinho, amizade, consideração e amor dos amigos. Não admiram somente a minha linguagem, estilo, buscam se alimentar das mensagens interditas nas obras dando outro sentido e verdade às suas vidas.

@@ Sonia Son Dos Poem Gonçalves@@
6_______E você se inspira exatamente no que?
Como escreve em que horário tem mais inspiração?

## Manoel Ferreira Neto ##
- Na verdade, na verdade, não sou daqueles escritores que ficam à espreita da inspiração, esperam que ela se manifeste se revele. Há escritores que antes de qualquer texto, poesia inspira-se em algo, alimentam-se de sentimentos e emoções do momento, alimentam-se da memória, alimentam-se dos conhecimentos a priori, alimentam-se de situações passadas, alimentam-se de seus sonhos e esperanças. Nada disso funciona comigo. Se me ativer a alguma coisa para escrever, não escrevo única linha. Sou inspirado o tempo inteiro. Já houve um entrevistador na rádio, Delém, que me dissera não sou inspirado para escrever, sou iluminado, todo o tempo estou iluminado. Um texto pode nascer assim que acordo sem quê nem por que. Pode nascer durante a manhã, pode nascer no botequim - aliás, sempre escrevo tomando uma cerveja. Nada penso. Nada mesmo. Escrevo o texto. Não há hora para escrever. Já acordei pulando da cama, escrevi um texto dormindo, lembrava-me de algumas passagens. Sentei-me na escrivaninha e compus o texto num fôlego.

@@ Sonia Son Dos Poem Gonçalves @@
7__________Diga-nos... Você possui um vasto vocabulário bem erudito, você faz uso de dicionário  para escrever ou essas palavras  clássicas e muitas até de difíceis entendimento, simplesmente afloram assim do nada de repente?

## Manoel Ferreira Neto ##
- Se há uma coisa por que tenho urticária chama-se dicionário. Tenho seis mil livros na minha biblioteca e não tem nem um dicionário de bolso. Nem aqui no computador tenho dicionário. Todo esse vocabulário erudito e clássico, palavras que quase ninguém conhece, outras já caídas em desuso são frutos de minhas leituras, li muito na vida, leio muito até hoje. A erudição do vocabulário acontece espontaneamente.

** Sonia Son Dos Poem Gonçalves*****Pausa ******
- Que legal isso!
- Estava curiosa para saber sobre, muito interessante Manu*****

@@ Sonia Son Dos Poem Gonçalves @@
8________ O que você pensa sobre o que está acontecendo no momento, hoje é mais fácil publicar um livro, logo surgindo novos escritores e poetas aos baldes, o que pensa sobre isso Manu?

##Manoel Ferreira Neto##
- Esta Literatura por que as editoras estão interessadas, estão investindo... Zé Ninguém de um dia para outro acorda escritor, o livro está na Livraria, Existem às pencas por aí os falsos escritores, os escritores de plantão... A obra não tem quaisquer valores literários, poéticos, semânticos, linguísticos. Do mesmo modo que acordam escritores, vão dormir no completo anonimato. As obras têm pernas curtas, mais curtas que as da mentira. A verdadeira obra que se torna eterna é aquele que traz no seu bojo valores literários, poéticos, linguísticos, semânticos. Daqui a mil anos a obra está servindo a humanidade com suas mensagens e esperanças. Essa é a verdadeira obra, a que fica. Esses que se dizem escritores estão fadados a curtirem a fama por um segundinho apenas. Amanhã nada será!

@@ Sonia Son Dos Poem Gonçalves  @@
Nova Pausa ******Perfeito Manoel!... Penso assim também... Uma coisa é dizer outra bem diferente ser e fazer...
*****Manoel Ferreira Neto*****
- Soninha, você é a entrevistadora que puxa a polêmica na língua do escritor. Olha, essa é a primeira entrevista polêmica que estou concedendo, *a entrevistadora está se coçando com você de polêmica*.

@@ Sonia Son Dos Poem Gonçalves @@
9_____rsrsrs...E sobre divulgar tua obra na net ou em livros impressos o que me diz?

## Manoel Ferreira Neto ##
- Sinceramente, estou preferindo a divulgação de minha obra na Internet. Amanhã um texto meu que publiquei hoje está no mundo, sendo lido, reconhecido. Para se chegar no mundo através do livro é difícil, pois que as editoras não investem nisso. Mas careço de publicar um livro. Vou cuidar disso este ano.

@@ Sonia Son Dos Poem Gonçalves @@
Nova Pausa ****Conte comigo Manu... Estarei trabalhando com edição de livros esse ano

10________Mas então, apesar do teu grande sucesso na net em todos os departamentos virtuais... Ainda assim, você como todo escritor quer o famoso livro de papel?

## Manoel Ferreira Neto ##
Sim, ainda quero o tradicional livro editado. O livro editado é a sua presença na Biblioteca do leitor. Pode lê-lo a todo instante que desejar. É sempre a presença dele na vida do leitor. Aqui na Internet através dos blogs também. Mas os blogs não são papéis impressos, moldura de livro para colocar na Biblioteca entre tantos autores. E-Books podem, mas não é a mesma coisa. O livro de papel é a vida de uma obra. Entendeu?

@@ Sonia Son Dos Poem Gonçalves @@
11______O que acha dos críticos literários de uma forma geral, mas se atendo aos do face obviamente porque temos em todo leitor um crítico e admirador, porém temos os “críticos não admiradores “também...

## Manoel Ferreira Neto ##
- Bem, posso responder a isso em termos de mim. Críticos, comentadores que realmente possuem a sensibilidade, conhecimentos a priori de obra literária, conheço e sou objeto de seus comentários e críticas: Ana Júlia Machado, portuguesa, Ana Sofia Carvalho, portuguesa, Maria Fernandes, portuguesa, Rita Helena Neves (esta é mestra em Literatura, especialização em também crítica literária), você, Soninha Son. Agora, leio alguns comentários esparsos de amigos nalguns posts, nem sabem por onde passam comentários e críticas, são coisas realmente insossas.


@@ Sonia Son Dos Poem Gonçalves @@
12_______Mas você se incomoda que as pessoas apenas curtam seus escritos e não os comente? Ou para você isso é indiferente?

## Manoel Ferreira Neto ##
Não me incomoda nem um pouco isso. Curtir para mim já traz em si um valor inestimável, é presença do amigo, do leitor. Incomoda quando um amigo que sempre curte não curte um post. Curtir para mim é já princípio de uma leitura depois. A grande maioria que curte lê depois...


@@ Sonia Son Dos Poem Gonçalves @@
13_______Li em algum lugar que os poetas escravizam os leitores, você concorda com isso Manu?

## Manoel Ferreira Neto ##
- Há quem realmente escravize os leitores aqui. Escrevem de cambulhada inúmeros textos com a mesma mensagem, mesmo tema, mesma temática. Observa-se logo que deseja escravizar, fazer uma lavagem cerebral no leitor, enfiar na cabeça deles o que pensam e sentem. Existem inúmeros aqui neste nível. Comigo não. Escrevo sobre tudo e não me centro em ideia alguma.


@@ Sonia Son Dos Poem Gonçalves @@
14______Então você questiona não o montante de textos, mas sim a repetição dos temas?
E o que me diz sobre o tipo de versos, clássicos ou modernos?

## Manoel Ferreira Neto ##
- Tomando a palavra "clássica" na sua acepção universal, não vejo nenhum poema clássico em todas as suas dimensões. Quanto aos modernos, existem muitos níveis de modernidade no nível. Alguns estão sendo criativos, estão recriando a modernidade em consonância, sintonia, sincronia com a linguagem e estilo deles, com o nível de personalidade e caráter, são os autênticos artistas, poetas, escritores. De imediato, cito um moderno criativo, um grande escritor, João Urague... Agora, a maioria estão nas sombras de poetas universalmente consagrados, então os que querem andar nos sapatos de Carlos Drummond, Neruda, Pessoa,  Oswal de Andrade e tantos outros...


@@ Sonia Son Dos Poem Gonçalves @@
15_______Concordo muitos imitam estilos e os seguem... Você me da deixa para falar sobre plágio... Já foi plagiado? Como se protege de um possível plágio ou uma usurpação de sua obra literária?

## Manoel Ferreira Neto ##
- Plágio de minha obra? Impossível!.. Quem ousar esta façanha, cairá no ridículo sem limites. Ademais, se alguém tentar qualquer arbitrariedade, será logo detectado. Não existe quem escreva como eu, no Brasil e no Mundo. Já aconteceu em 2014 alguém retirou o meu nome de um poema e publicou como seu. Amigo viu a coisa e me comunicou. Antes de me avisar, avisou a pessoa que iria comunicar-se comigo. Avisou. Fui conferir. A pessoa excluiu o post. Não temo isso. Outra coisa: tudo o que está aqui publicado está no meu Windows, está em Pen-Drives.
Júlio di Paula, professor, marcou um trabalho para os alunos da faculdade onde leciona. Um aluno copiou um texto meu era sobre Filosofia. Júlio reconheceu logo, deu zero a ele. Sem choro nem vela.
- Hoje sou um dos escritores mais renomados da Internet, meu nome e minha obra rolam por todos os lugares. Ninguém vai ousar qualquer gracinha, será denunciado. Neste sentido, o renome ajuda e muita.

16 ______ Finalizando.
1- Qual a cor que mais gosta
R - A cores preferidas: vermelha, verdade, azul. Aliás, os amigos sempre dizem que quando estou de camisa com estas cores fico muito bem.
2 - Campo ou praia?
R - Odeio praia, odeio piscina. Gosto do campo, passeio numa fazenda. Faz oito anos passei um final de semana na fazenda de meu amigo amigo Duarte. Adoro o mato, desde que por pouco tempo.
3 - Prato predileto
R - Meu prato predileto é um suculento pé de porco com jiló.
4 - Qual a coisa mais importante para levar a vida numa boa?
R - Amar o que se faz é o mais importante na vida: o amor que dedica à coisa que faz realiza todos os sonhos.
5 – Medo?
R -  Medo de quê? Nada temo. Nada temo. Tenho algo comigo: tenho sempre respostas na ponta da língua para qualquer eventualidade ou agressividade.
6- fale algo que gostaria e não foi perguntado
R - Se este ano que estou emplacando os sessenta anos em julho, vai haver alguma comemoração especial, uma festinha on-line?
Já tenho em mente a mestre-cerimônia da festinha de meu aniversário.
Chama-se ela SONINHA SON DOS POEM GONÇALVES.
 SON ____Manu uma pergunta que não fiz... Como vê os poemas eróticos postados no face?
 MANU___Leio poemas eróticos, reconheço alguns valores, mas eu particularmente não sou apreciador de poemas eróticos. Alguns aqui têm seus valores inestimáveis, mas outros são pura pornografia  nas entrelinhas.
Amo Bocage.
Pois é... O erotismo moderno só é erotismo, não traz outros valores literários no seu bojo.
Bocage escrevia punha a alma nos escritos... Era um orgasmo visceral e literal...em termos literários...
Esses ai só pornografia
“Manoel Ferreira Neto”

 @@ Sonia Son Dos Poemas @@
Então finalizamos... Gostaria de deixar um recado uma dica ou algo assim?
## Manoel Ferreira Neto ##
- “ Não faça a vida com a Literatura, com a Poesia”. Faça a vida de esperanças e sonhos dos homens com a Literatura, com a Poesia. O escritor, o poeta um dia vão embora. A obra vai ficar. A Literatura e a Poesia não pertencem ao escritor. Pertencem aos homens.
- Obrigado de coração por este momento tão agradável com você, conversado sobre a Literatura, a Poesia, fama, sucesso, modernismo, classicismo, erudição... Grande abraço a você e a todos os seus amigos e leitores.

Obrigada Manu... Tão boa e leve fluiu que ficaria aqui até... Muito agradável essa nossa entrevista a gratidão é toda minha!Bjos


FIMMMMMMMM


*VERBOS DE SÍNTESE E ESPERANÇA* - Manoel Ferreira


Ora, tenho o verbo-sonho
Que se projeta no tempo
Re-vela-se imagem-verbo
Da Vida e do Ser,
Ora, tenho o desejo-esperança
Que se lança nos horizontes
Re-vela-se esperança-amor
Do Absoluto e do Eterno
Ora tenho a amante-felicidade
Que mergulha nos desejos de êxtase e volúpia,
Cheia de sol dourado, cheia de estrelas cintilantes,
Re-vela-se felicidade-encontro
Do Prazer e da Alegria,
Ora, tenho a senhora-vontade
Da Verdade e do Divino,
Que se mantém como a mansidão das buscas
Pela fé
Que se re-vela verdade-[da]-vontade
De ser instantes da eternidade
Ora, tenho a vida
Que deseja, quer, sonha, espera
Ora, tenho o símbolo
Do Homem e a Vida
Que, em síntese,
Se entregam ao Verbo-do-Sonho-Amar
Ora, tenho a metáfora
Do Uno e Verso
Que se esplendem ao silvestre
Do Infinito...



Manoel Ferreira Neto.
(31 de janeiro de 2016)


*TEMPO* - Manoel Ferreira


São todos os sítios,
São todos os olhares,
São todos os sonhos,
São todas as utopias,
São todos os desejos,
São todas as esperanças,
São todas as vozes,
São todos os silêncios,
São todas as solidões
Persigo a multidão.
São todos os desenganos,
São todos os erros,
São todas as ilusões,
São todos os fracassos.
São todas as vitórias,
São todas as decepções,
São todas as glórias,
São todas as desilusões,
São todas as faces iguais,
São todas as horas sem paz,
São todos os humanos indo
E vindo na multisolidão.
São chaves erradas,
São lágrimas vertentes,
São trancas trancadas,
Preciso socorrer-me.
Sou aprisionado ao teu ser
Só que não tenho o teu querer.



Manoel Ferreira Neto.
(31 de janeiro de 2016)