Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2017

**O INSUBSISTENCIAR-SE ARGUCIOSO REENCONTRANDO-SE NA EDIFICAÇÃO DE NOVOS TEMPOS, PRENÚNCIO DE NOVAS ESPERANÇAS** - TÍTULO E PINTURA: Graça Fontis/PROSA POETICA: Manoel Ferreira Neto

Imagem
Será morrer retornar à vida de antes da vida? Não vos estou a implorar que me respondeis, isto me faria a felicidade, prazer. Rogo-vos um único instante, e vida plena, em que vida e morte, tempo e eternidade ajustem-se, sin-cronizem-se, sin-tonizem-se, harmonizem-se. Rogo-vos amor, que, sendo desejo, é fome de comunhão. Enquanto a harmoniosa lira, a lira sagrada faz ressoar as sacras melodias que vão unir-se aos meus solenes arrebatamentos, digníssimos rebentos, compraz-me rejeitar as leis humanas que, in-versos e esperanças, re-versas e utopias, sejam a alma delirante e o espírito insensato. Feliz o homem que procura longe dos homens as delícias da solidão e o verde das árvores que ornamentam algumas ruas e praças da cidade. Chamo feliz ao homem cuja vida é afagada, dia após dia, na sabedoria e inteligência. A linguagem altiva não convém aos débeis. Evito a prolixidade: não há quem a suporte mais, até parece que impinjo todos a ouvi-la até não mais poderem. A minha voz deve afetar a o…

**ESPÍRITO & ALMA PLANAM NUMA EXPEDIÇÃO MELÓDICA E FLUTUANTE FRONTEIRAS IMAGINÁVEIS À BUSCA DE LIBERTAÇÃO E PLENITUDE DE VERDADES** - TÍTULO E PINTURA: Graça Fontis/EPOPÉIA MINEIRA E CARIOCA: Manoel Ferreira Neto

Imagem
No crepúsculo das imagens grávidas de outros amanhãs, Desejar, na musicalidade do espírito, o itinerário do ser, Na melodia da alma, a jornada das buscas da verdade, do pleno, Ser o outro no ritmo de sofrimentos e dores, Desesperanças e ausência de fé, No enredo de situações e circunstâncias, Construir a história de entregas e vontades, Trilhar paisagens mineiras de imagens do pleno e sublime.


Em cima dos muros de Minas, veredas de enredos e ritmos, Numinando, nos sonhos de plen-itude, a “imagem da emoção”, Que brota na certeza de re-nascer caminhos de veros versos, De re-novar veredas de efígies, sonetos absolutos do eterno, Estrofes múltiplas de rimas interiores, veredas de musicalidade, Cântico de pássaro trinado nas grimpas do flamboyant, Canto de coruja esplendido por todos os sítios, Ruas e estradas de contingências outras, esperanças de luzes, Terrenos baldios e becos sem saída de ipseidades e facticidades, Brilhando numa prosa-canção que se inspira Nas gerais nascentes, “água pura”.

**FASCINANTE TRANSMIGRAÇÃO POEMATIZA COM PERCUCIÊNCIA SALVOCONDUTO DA LIBERTAÇÃO** - TÍTULO E PINTURA: GRAÇA Graça Fontis/POEMA: Manoel Ferreira Neto

Imagem
Entre as montanhas Grito silencioso, silêncio de ideais, silêncio de liberdades, silêncio de justiça, silêncio de solidariedade silêncio de filosofias do Ser e Nada.



MINAS GERAIS



No interior das Minas, Um pássaro em cada peito, cânticos de amor, amizade na lira eterna da história feita orgulho, do tempo tecido de vaidade, da cultura composta de esperanças Suplicando espaço nos horizontes naturais do eterno...



MINAS GERAIS



De Minas, só mesmo o nome Inscrito, re-escrito em negras pedras de sonhos Sonhar absurdo perdido cristais e diamantes Ah! Minas, elucubrada nas janelas De casarotes, casinhas, casas simples e humildes, Conjecturada nos portais Dos casarões antigos, tradicionais, decadentes,<