Total de visualizações de página

domingo, 4 de setembro de 2016

PEQUENO ENSAIO SOBRE A OBRA DO ESCRITOR Manoel Ferreira Neto - Maria Isabel Fernandes da Cunha


Manoel Ferreira, um escritor polémico e abstrato na sua dialética, dada a erudita linguagem que utiliza e os princípios filosóficos de que dispõe, torna-se inacessível e até um pouco fastidioso para o leitor comum que encontra dificuldade em concentrar-se e até conseguir terminar a leitura dos seus textos, dada a sua prodigiosa concentração do saber adquirido, inteligência e inspiração invulgares.
Um ser inquieto com a própria existência, pesquisa no seu próprio ser e em tudo o que o circunda respostas para a sua existência. Busca nos mananciais de cultura existentes, desde a antiguidade: Bíblia, Evangelhos, obras de autores consagrados respostas para as suas inquietações, mas apenas encontra in-verdades
, mentiras seculares ou ambiguidades como resposta para as suas inquietações.
Deseja a sublimação do amor e toda a sua envolvência em consonância com o ser/existente, mas encontra falsidades que lhe provocam tristeza, lágrimas e uma sociedade com ausência de carácter, sem espiritualidade.
Na procura da verdade do Ser/Existente vê-se pó e luz, faltando-lhe porém, o conhecimento da continuidade no tempo do seu próprio Ser.
Grande e perspicaz observador de tudo o que o rodeia, é um crítico imparcial, sagaz, conseguindo penetrar na alma e perscrutar os seus segredos do(s) autor(es) através das suas obras.
Não admite a finitude do Ser, mas sim a plenitude do mesmo, no encontro Vida/Morte, onde o Ser tomará consciência de toda a sua magnitude.



Maria Isabel Fernandes da Cunha


Um comentário: