Total de visualizações de página

sábado, 15 de julho de 2017

#AFORISMO 41/LUZES DA RIBALTA E DA FILOSOFIA* - GRAÇA FONTIS: PINTURA/Manoel Ferreira Neto: AFORISMO



Epígrafe:

"Ao alcance do espírito a dimensionalidade do tempo se refaz universificada no pleno" (Graça Fontis)

Julho...

In-verno às chamas da lareira aquecendo sonhos, esperanças, utopias da continuidade dos sentimentos e emoções, à soleira do in-fin-itivo verbo do ad-vir de conquistas da vida que se re-vela outra, tempo de re-flexões, meditações.

simples da vida que outra coisa não é senão o re-nascer de ilusões, fantasias, quimeras, sorrelfas do pleno, sofrimentos, dores, angústias, da plen-itude, do eterno, da etern-itude, da etern-idade.

Tranquilidade à mercê da leveza do ser, calma aos interstícios dos verbos da felicidade, serenidade aos tempos do vir-a-ser, dos futurais volos do amor
Sentir os sentires dos sentimentos que sentem as glórias da Vida,
Sensibilizar as dimensões do espírito, da alma que alçam voo nas asas do vento
Nascimento, re-nascimento
Seis as luzes que iluminam e alumiam o tempo.
Adeus ao olhar que comia os anos futuros com a inocência.
Adeus às ansiedades por glórias, por conquistas.
Adeus às angústias das inseguranças, medos.
Adeus às des-esperanças dos verbos da felicidade.
Adeus às infelicidades das con-tingências.
Adeus às dificuldades do estar-no-mundo frente às facticidades.
Adeus às nostalgias e melancolias nos vales, no sertão.
Adeus às saudades de momentos, instantes...

Sejam bem-vindos os sonhos, as utopias da realidade.
Sejam bem-vindos os futurais volos da vida plena.
Sejam bem-vindos as etern-idades que a-nunciam o Ser.
Sejam bem-vindos os silvestres do tempo que a-nunciam o Absoluto.
Sejam bem-vindos os ipsis litteris do poema do Amor.
Sejam bem-vindos os novos tempos da Vida Real

Nascer, re-nascer.
Re-fazer, re-criar.
In-versar, re-versar o infinito do ser.
Re-construir, re-artificiar a alma sedenta do amor e do ser.
Re-olhar o encontro da lua e das estrelas brilhando no uni-verso.
Re-viver todas as coisas, todas as buscas, todas as querências
Sob a luz da ribalta que a-nuncia o infinito do Ser,
Sob a semi-luz no picadeiro que pro-jecta as verdades da Plen-itude...

(**RIO DE JANEIRO**, 15 DE JULHO DE 2017)




Nenhum comentário:

Postar um comentário