Total de visualizações de página

sábado, 4 de fevereiro de 2017

**PUREZA - IN "DIVÃ EXISTENCIAL" - 29 DE JUNHO A 03 DE JULHO DE 1989** - PINTURA: GRAÇA FONTIS/POEMA: Manoel Ferreira Neto


Um lânguido e tênue
olhar entenebrece
- como o céu -
onde vai relampejar.



Afigura-se-me
a imanência...Seria
uma ausência lenta.



O retorno nítido de uma cumplicidade
com o sentimento do eterno
aglutinado à consciência da alma...
Voluptuosidade!
Volubilidade!



Postergam-se as emanações contingentes
do absurdo
e
encontradas
as ideias de sossego
e silêncio
- extravio as sensações da perda.



Sou uma ironia
mesclada de cinismo.



Brilha mais puramente
a brancura da realidade.



Reconheço o tempo,
uma sensibilidade no seu âmago.
Ouça-me, amor!...
Transpareço o nível das palavras.



Ser-lhe-ei os êxtases das ondas.



Conciliam-se raízes
que se afloram
no fundo
do tempo.



Concilio a intimidade
com a imanência, num fervor
de renovação.



(**RIO DE JANEIRO**, 04 DE FEVEREIRO DE 2017)


Nenhum comentário:

Postar um comentário