Total de visualizações de página

domingo, 19 de fevereiro de 2017

**AMIGO... GRITO ANTIGO** - PINTURA: Graça Fontis;POEMA: Manoel Ferreira Neto


Amigo,
Grito Antigo é o silêncio
Habitando a sensibilidade
Que versa saudades, melancolias
Que versa-com(con-versa) sonhos, esperanças,
Monologa fantasias, dialoga a liberdade,
Que tergi-versa a busca do Ser, da Verdade,
Não sendo esta a luz que você projetou na obra,
Sinto o Grito Antigo,
Con-templo-o através deste sentimento,
Desta emoção,
Do que hoje vivemos,
Amanhã, o que nos espera,
Onde - nós?
Onde nós?
Nossas ilhas serão diferentes,
Distantes,
Nossos desertos serão à luz de reflexões,
Miríades de oásis no olhar que tergi-versa os linces,
Perscruta a imensidão do universo, horizontes...



Em que nível sentirmos o Grito Antigo,
Sempre estarão presentes o sonho, a esperança,
Algo a ser atingido,
Conquistado,
Realizado
O Grito Antigo que me habita, é-me
Nos abismos da alma, nos seus redutos,
O verbo da entrega, o intransitivo da doação,
Mister aflorá-los, fluí-los,
E quando penso em Grito Antigo,
A imagem de águas límpidas seguindo o rio,
Àguas outras a todo átimo de instante,
À margem con-templando-o(as),
Imagens se a-nunciam de tempos outros.



Grito Antigo...



(**RIO DE JANEIRO**, 19 DE FEVEREIRO DE 2017)


Nenhum comentário:

Postar um comentário