Total de visualizações de página

sábado, 25 de fevereiro de 2017

**SONO DOS IMPERFEITOS - IN "DIVÃ EXISTENCIAL" - 29 DE JUNHO A 03 DE JULHO DE 1989** - PINTURA; Graça Fontis/POEMA: Manoel Ferreira Neto


As chamas da fogueira
estão diminuindo.
Não tenho a mínima noção
de quanto tempo estou aqui
sentado nesta tora de madeira, em silêncio.



É noite, as estrelas brilham no céu.



Sentimentos a-nunciaram-se,
revelaram-se,
evolaram-se num contínuo.
Se acendi a fogueira, sentei-me
nessa tora de madeira para in-vestigar
o tempo e o que fora sendo vivido
no seu decurso,
aqui está o momento presente,
tudo o mais esvaeceu-se entre os dedos,
o passado continua no passado.



Agora sei que existiu esse passado,
fora existido por mim.
Precisava apenas sentir que houvera existido.
Este momento aqui não foram nostalgias,
melancolias
- rio-me, se digo "saudades" -,
mas um modo de re-fletir, ter consciência do vivido.
Posso apagar a fogueira,
entrar em casa,
tomar o leite noturno,
deitar-me,
olhar a cintilância das estrelas
através
da vidraça da janela
até conciliar
o sono dos imperfeitos.



(**RIO DE JANEIRO**, 25 DE FEVEREIRO DE 2017)


Nenhum comentário:

Postar um comentário