Total de visualizações de página

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

**CORPO IMAGINÁRIO** - IN "DIVÃ EXISTENCIAL" - 29 DE JUNHO A 03 DE JULHO DE 1989** - PINTURA: Graça Fontis/POEMA: Manoel Ferreira Neto


Quero
o sibilo de vento entre serras,
quero
o vazio no templo das quimeras,
quero
o vácuo no instante dos idílios.



Quero
a ausência no momento dos devaneios,
quero
o oco no minuto da solidão,
quero
o opaco no segundo da certeza.



Quero
o eco no átimo da confiança,
quero
o carinho no tempo da desilusão,
quero
a ternura no tempo do fracasso.



Quero
a carícia no momento da angústia,
quero
a compreensão na hora da dúvida.



Quero
a meiguice no minuto da insegurança,
quero
o amor no segundo do tédio...



Quero
a felicidade no tempo de amor,
a alegria no minuto do prazer,
o prazer no instante de paz,
a paz na hora do gozo,
o contentamento no segundo do clímax.



É isso, é isso
que não consigo assumir: o poema
caminha para o devaneio.
Tudo é futuro
e, no presente,
nada existe.
Nem mesmo o homem.
Só palavras...



(**RIO DE JANEIRO**, 21 DE FEVEREIRO DE 2017)


Nenhum comentário:

Postar um comentário