Total de visualizações de página

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

**HUMANIDADE - IN "DIVÃ EXISTENCIAL" - 29 DE JUNHO A 03 DE JULHO DE 1989** - PINTURA: Graça Fontis/Poema: Manoel Ferreira Neto


Um poema:
a individualidade do amor a esclarecer o íntimo
e quem é incapaz de amar
não pode senti-lo;
a subjetividade da ternura a estabelecer o espírito
e quem é frio
não consegue entender;
o sentimento de carinho a construir a beleza
e quem racional apenas for
não pode compreender;
a emoção da meiguice a constituir a plenitude
e quem é somente pensamento não sente
a profundidade;
as sensações do corpo a instituir os prazeres
e quem é da matéria
não percebe a essência;
a ideia da universalidade a formar a paz
e quem é das reduções não intui
a transcendência.



Como o poema pode ser criado,
o seu significado
sentido,
amado e querido
pelos homens de todo o mundo,
se é algo individual e intimo?
Seria necessária uma humanidade de poetas.



(**RIO DE JANEIRO**, 12 DE FEVEREIRO DE 2017)


Nenhum comentário:

Postar um comentário