Total de visualizações de página

terça-feira, 20 de junho de 2017

*PRELÚDIO DOS 60 ANOS** - GRAÇA FONTIS: PINTURA/Manoel Ferreira Neto: AFORISMO


Tempo de in-vest-igar os vestígios dos sonhos. Tempo de inventariar as iríasis dos volos. Tempo de re-novar as esperanças do sublime. Tempo de inovar os volos do eterno. Tempo de re-começar as ilusões, fantasias do além. Tempo de re-iniciar os ipsis do espírito. Tempo de re-fazer as utopias do verbo. Tempo de re-verbalizar as dimensões sensíveis do perpétuo. Tempo de re-poetizar os versos do amor. Tempo de re-pensar as sendas silvestres do campo. Tempo de re-visualizar as águas cristalinas do pleno. Tempo de re-fletir os ventos do tempo. Tempo de re-dimensionar os uni-versos da prosa da vida. Tempo de re-versar.
Tempo de in-versar. Tempo de ad-versar. Tempo de outras metafísicas do pó e das cinzas. Tempo de re-lembrar as nostalgias e melancolias da Verdade. Tempo de re-cordar as entregas ao sublime. Tempo de re-memorizar os idílios do prazer e da felicidade. Tempo de re-criar as pedras de toque que realizam as plen-itudes. Tempo de re-inventar as pedras angulares que espiritualizam o ser. Tempo de linguísticas e semânticas da beleza do belo. Tempo de filosofar o uni-verso lunar da alegria. Tempo de outras filosofias da jornada à busca do absoluto.
Tempo de outro amor. Tempo de outro carinho. Tempo de outra ternura. Tempo de outro afeto. Tempo de outra afeição. Tempo de SESS-ENT-AR a vida de contingências e trans-cendências.


(**RIO DE JANEIRO**, 20 DE JUNHO DE 2017)


Nenhum comentário:

Postar um comentário