Total de visualizações de página

sexta-feira, 9 de junho de 2017

#O ARTISTA É A ORIGEM DA OBRA E A OBRA, ORIGEM DO ARTISTA# - MARTIN HEIDEGGER - GRAÇA FONTIS: PINTURA/Manoel Ferreira Neto: AFORISMO


Às avessas da in-finitude, semeando a sempre-viva consciência,
ética e estética das dialéticas da iluminação, acompanhada de vivacidade, de que saciar as fomes e sedes da humanidade é con-templar o verbo amar, de que regar as volúpias da essência do pó-ema do ser é vis-lumbrar, a-lumbrar, des-lumbrar, na continuidade das esperanças, caminho sinuoso das estrofes, na continuidade dos amores, na des-continuidade das sensações,
sentimentos e emoções.
Às re-versas e in-versas da sublim-itude, ensaiando intimamente a música, que só o íntimo da alma sabe e conhece, de espíritos da vida singularizando, entre-laçando os ideais e sonhos com as raízes da verdade, cria-se, inventa-se o aforismo da leveza do sublime.
O tempo-boi me deixa vazio, acontecendo no acontecer que me criva de balas, retalha a sabres; quero pontuar a alma dos pastos
de meu regresso passado, quero marcar boi-tempo, tenho de criar palavras para, na forma circunspecta, en-si-{mesmada},
estilo e linguagem colocarem versos na prosa, prosa nos versos,
comungarem sentimentos e idéias em busca das verdades que me habitam a alma, sentimento da “casquinha” de felicidade e alegrias passageiras,


“Antes o nada, depois o cosmos”, “O artista é a origem da obra e a obra, origem do artista”


(**RIO DE JANEIRO**, 09 DE JUNHO DE 2017)


Nenhum comentário:

Postar um comentário