Total de visualizações de página

sexta-feira, 19 de maio de 2017

#PERSPECTIVAS DE OUTRAS UTOPIAS# - GRAÇA FONTIS: PINTURA/Manoel Ferreira Neto: AFORISMO


Você acha que a rosa branca no alvorecer irá desabrochar?
Você acha que a poesia vai sobreviver neste mar de farsas, falsidades, interesses escusos, ideologias chinfrins?
Você acha que a verdade irá regar a felicidade de outros sonhos e esperanças?
Você acha re-colheremos e a-colheremos no caminho do campo de mãos entre-laçadas outras seivas e húmus do espírito de iluminar a essência de todos os desejos de compl-etude e plen-itude?
Você acha que nas sendas e veredas por onde trilharmos nossos passos vamos colher o horizonte lá longe e caminharemos em direção com o desejo puro e verdadeiro de que realizaremos o espírito da vida?
Você acha que o Uno e o Verso se mergulharão profundo no mar de todas as esperanças e seremos "um" no percurso de todas as alamedas espirituais por onde refletirmos a "essência" do verbo-de-ser?
Você acha nos sonhos que tivermos enquanto dormindo os sonos vão iluminar, numinar ainda mais a nossa alma de viver a verdade?
Você sente que a água cristalina dos sentimentos segue a sua jornada pelos caminhos em direção à fonte da felicidade?
Você sente que naquela estrela ali, parece mais brilhante, está escrita a Vida de nossas vidas?
Você sente que nossas vidas se eternizarão de realizações, prazeres, alegrias, contentamentos?
Você vê as luzes brilhando nos universos, levando-nos sempre para a in-finitude de outras verdades que precisamos sentir em nós?
Você percebe com nitidez e transparência de sentimentos estar sempre se a-nunciando, re-velando outras perspectivas de outras utopias?
Se você fechar os olhos, consegue vislumbrar a espiritualidade de nossos verbos, como se a lua e as estrelas fossem uma, cintilância e brilho comungados, projetando-se além, e nos leva tranquilos, serenos, de mãos dadas, para outros infinitos de sentimentos que ainda não conhecemos?


(**RIO DE JANEIRO**, 19 DE MAIO DE 2017)


Nenhum comentário:

Postar um comentário