Total de visualizações de página

quarta-feira, 8 de março de 2017

*MULHER - UNI-VERSO DE LUZ E SONHOS* - PINTURA: Graça Fontis/PROSA POÉTICA: Manoel Ferreira Neto


Dualidades - sentimentos inscrevem desesperanças, buscas
Intimas de sincronias, harmonias corpóreas, da alma,
Do amor trans-cendente, eterno, acolhendo sonhos re-colhidos na essência.


Sendo re-velações íntimas das emoções que vagueiam no infinito
Entregam aos solstícios matutinos os desejos da vida entre-laçada
Nos liames subjetivos entre o con-tingente e o necessário
De carícias e toques, carinho e ternura, banquete carismático
Oferecendo o alimento que sacia a carência, soidão,
Querência, sem pressa, sem margens, da verdade espiritual,
Unificando, comungando ideais do perpétuo e êxtases da carne
Emoldurando de imagens plenas da felicidade porta-manque-d´être
De lembranças, recordações do perfeito.


Irreversíveis verdades concebem do corpo
A luz do espírito que ilumina o campo
De querências a saciarem a sede do absoluto
Nascendo o brilho diáfano a incidir sensível
No tempo que se estende ao longo
De ec-sistir a verdade-verbo do sonho-amar
Templo, tabernáculo de entrega, doação plenas
Não flor nem fera dos desejos da fé
Estendendo ao uni-verso dos horizontes longínquos
O diá-logo entre o ser-da-vida, ser-para-a-morte,
Revela-se a cáritas das emoções, coração aberto,
Sensibilizado de pulsações, as etern-idades
Con-tingentes da vida em curso, de-curso
Per-curso, movimento à busca de compl-etudes
Nuvens brancas, às cintilâncias das estrelas
Enveladas, perpassam o seio eivado
Do lácteo desejo da presença do sensível
Ascendendo na roda-viva da água e fogo,
as chamas ardentes de lenhas na lareira
Da vida-luz, vida-para-a-luz, luz-para-a-vida
Cáritas imanentes fluindo Koinonias do Amor eVerbo do Ser.


Intencionalidades volas voluteando volúpias
Onipresentes da "mulher-ser-para-a-vida",
Da "mulher-semente-da-vida"
Núncios, a-núncios, pre-núncios do verbo
Precedendo o ser,
Amor, doação, dedicação ao brilho lunar
Do corpo-alma-espírito, genesis
Da carne que pre-nuncia o verso
Do soneto "Mãe"
Linces espirituais, inconscientes
Virgem de Maria Santíssima
Esplendendo o Ser-da-Vida
Nas mãos que criam, re-criam
Os toques, carícias, ternuras
Da Paz-Ser - conquista do eterno.


De ilusões, fantasias, sonhos, quimeras, silêncio e amor
A face eterna, imortal do espírito-luz, abajur
De semi-luz que ilumina a madugada
Que antecede os raios do sonho.


Mulher,
Útero-da-semente-vida, semente-da-vida-útero
Vida-da-semente-útero,
Laço trans-cendente, ab-sol-escente do eterno-vida
Há-de vir, de sentimentos e emoções do verbo-sendo-em-vida,
Em sendas-de-verbos desej-âncias
Da plen-itude vivencial do em-ser-esperança,
Re-velo lúcido, lúdico, trans-cendente
O ilimitado pela Mulher.


(**RIO DE JANEIRO**, 08 DE MARÇO DE 2017)


Nenhum comentário:

Postar um comentário