Total de visualizações de página

sexta-feira, 28 de abril de 2017

#BEM-AVENTURADOS OS QUE AMAM!...# - GRAÇA FONTIS: PINTURA/Manoel Ferreira Neto: AFORISMO


Bem-aventurados os que amam, pois que a verdade do verbo de ser se lhes re-velará o espírito in-fin-itivo do eterno e do além, a alma uni-versal da compl-etude do sublime;
Bem-aventurados os que amam, pois que a felicidade da entrega do carinho, da ternura, da afeição se lhes mostrará límpido e cristalino o vir-a-ser da plen-itude do silêncio e das vozes insustentáveis do in-finito divino que sussurram o som da verdade;
Bem-aventurados os que amam, pois que a doação sensível dos desejos e vontades da conquista e realização do outro anunciar-lhes-ão a luz do ser que numina as esperanças da beleza do belo;
Bem-aventurados os que amam, pois que a sensibilidade uni-versal do absoluto enunciar-lhes-ão o in-audito dos mistérios e enigmas da con-tingência por inter-médio de místicas emoções do eterno que esplende os sonhos além da poética poesia do tempo;
Bem-aventurados os que amam, pois que a sublim-itude espiritual que exala suas iríasis futurais da fé habitará os abismos in-auditos das querências da paz, de onde fluirá livre o orvalho suave e semântico das divin-itudes do verbo e suas regências da glória eterna;
Bem-aventurados os que amam, pois que inscreverão em letras góticas na face da lua cheia o evangelho vivencial e vivenciário do bem e da verdade, e tais letras góticas velarão a solidão, eivando-a de outras dimensões do pleno e da compl-etude;
Bem-aventurados os que amam, pois que emoções e sentimentos conciliados são a pedra angular das vocações da espiritualidade que exala o ser do verbo sarapalhado de peren-itudes do além, comungando thelos e nous na eidética paráclita da fé na glória eterna e perpétua;
Berm-aventurados os que amam, pois que o amor eiva e seiva a verdade de miríades de luz, fonte luminosa do espírito que verbaliza o ser do tempo e dos ventos;
Bem-aventurados os que amam
Vernáculo da ternura e carinho;
Bem-aventurados os que amam
Linguística da afeição e da entrega;
Bem aventurados os que amam
Semântica da entrega e do verbo;
Bem-aventurados os que amam
Poiésis poética da glória e do eterno.


(**RIO DE JANEIRO**, 28 DE ABRIL DE 2017)


Nenhum comentário:

Postar um comentário