Total de visualizações de página

sábado, 5 de agosto de 2017

#BRUMAS DE PRATA# - GRAÇA FONTIS: PINTURA/Manoel Ferreira Neto: SINOPSE DE PEÇA DE TEATRO


ANÁLISE: 29 DE JUNHO DE 1989


IV ATO


No instante de uma angústia, sentimentos deambulam por inumeráveis sítios da alma; as emoções divagam pelos medos, fugas, fracassos, frustrações, manifestando dores ininteligíveis.


O engenho é conhecer estes sentimentos e emoções, saber discernir um e outro de modo verdadeiro - "mas o que é esse modo verdadeiro, hein? "Qual é a verdade? -, expressar o que no
íntimo o espírito reage e verbaliza (ou seria canalizar? Não sei...)


Sei, expresso, digo como penso e sinto, mas no mais fundo de minhas palavras e sentidos desejados, sucede algo que transcende o real, a realidade minha, os sentimentos e emoções são inúmeros e podem constituir uma realidade além de minha consciência e percepção.


O interessante é que, após dizer o que sinto e penso, colocado o que de mim sei, postos os sentimentos, verbalizadas ou canalizadas as situações, algo em mim transforma-se - por vezes, sinto-me bem, alegre, satisfeito, por vezes, a angústia é ainda mais profunda, dói, sinto que estou tripudiando, blefando, jogando, engabelando, minto com a verdade em mãos, preciso ir mais fundo, mas onde está a coragem para este empreendimento? Muitos são os pensamentos e idéias do que me reside, do que me habita, a minha vida sofre uma mudança. Ontem estive contente e feliz com tudo o que dissera, sentia-me completo, mas hoje estou angustiado, acho que ontem fui um embusteiro? Não sinto mais qualquer coerência das atitudes com os desejos.


Não conheço os enigmas e mistérios de quem sou, de meu "eu", como o "eu" interage no quotidiano, nas emoções e sentimentos. Sou iniciante nas dimensões de quem sou. Tudo atrás foram mentiras indecentes.


Algo de estranho e estrangeiro sucede...


No entanto, no mundo das coisas, dos objetos, no mundo das relações, não me é possível expressar, tenho sérios medos a minha imagem re-fletida nos olhos das pessoas, olho para mim e não me reconheço.


O que é mesmo ser autêntico? O que é mesmo ser um "Eu" Talvez ser autêntico é um estilo de reunir os desejos e vontades com a consciência de quem sou?


(**RIO DE JANEIRO**, 05 DE AGOSTO DE 2017)


Nenhum comentário:

Postar um comentário