Total de visualizações de página

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

#AFORISMO 85/NEBLINA DO ETERNO# - GRAÇA FONTIS: PINTURA/Manoel Ferreira Neto: AFORISMO


Epígrafe:


"O planar submerso da alma em seus devaneios suscita e subverte numa visão panorâmica o grande espetáculo que é a natureza" (Graça Fontis)


Como é belo o mundo, para quem o olha, ingênua e simplesmente, sem nada procurar nele, sem nada desejar dele, sem saber o que o habita ou não!
Como são esplendorosos os astros e a lua, os arroios e as ribeiras, as florestas e os abismos, o porco e a anta, o jegue e o coelho, a flor e o bem-te-vi, o sol e as estrelas!


É prazeroso e ameno passear pelo mundo, perambular pela cidade, na sombra de por baixo das árvores, no sol escaldante, atravessando as ruas e avenidas do mundo, imaginariamente, de Iguaba Grande, contingentemente, de modo, estilo e linguagem suaves, como quem acabasse de despertar e se abrisse a tudo quanto o rodeasse, a tudo que se lhe a-nuncia de espiritual e sensível, além da contingência, sem a menor hesitação, sorrindo de tranqüilidade, apenas curtindo a natureza, e mesmo os inúmeros terrenos baldios espalhados por toda a cidade, apenas sentindo as sensações de prazer por estar vivo, por ser vida, por sonhar com a esplendidade das esperanças e fé mística.


O homem foi "lançado" pelo próprio Ser na Verdade do Ser, a fim de que, ec-sistindo nesse lançamento, guarde a Verdade do Ser; a fim de que, na luz do Ser, o ente apareça como o ente que é.


Neblina do eterno,
Orvalho de flores salpicado do alvorecer de neblina,
Espiritualidade do ser de tempos,
A esperança é dimensão da vida do amor
Que bebe na fonte do paraíso
A felicidade dogmática do Amor-Eterno.


(**RIO DE JANEIRO**, 09 DE AGOSTO DE 2017)


Nenhum comentário:

Postar um comentário