Total de visualizações de página

sábado, 4 de março de 2017

***SILÊNCIOS DO AMOR*** - PINTURA: Graça Fontis/POEMA: Manoel Ferreira Neto


Amorzinho mais querido, gostoso de minha vida, Graça Fontis, hoje está fazendo onze meses que nos conhecemos, abril de 2016, de vida conjugal oito meses, 02 de julho de 2016 cheguei ao Rio de Janeiro para vivermos o nosso amor. O meu carinho, ternura, amor, compreensão, entendimento, entrega por inteira.


Avesso de re-vezes, o amor contido no peito
Primavera de re-versas flores, exalando perfume
Suave, a vida inspira o odor do há-de vir
Tarde serena des-abrocha a quimera de estrelas
Despetala o romantismo da luz solitária no espaço


Ad-versa de avessos, a ternura re-velada no íntimo
Inverno de avessas folhas, húmus de outras, verdes, viçosas
A vida respira o ar de primevas genesis do tempo
A noite chega, as luzes des-luminam a escuridão
Alumiam o sideral romantismo de ilusões perdidas.


Re-vezes de re-versos, o silêncio do amor
Outono de in-versas sendas silenciosas,
Saudades, nostalgias, melancolias, solidão.


O olhar perdido no longínquo de sentimentos vivenciados,
No peito, emoções fluindo, esperança das maresias,
o mar in-finito
Na alma, esperanças acumuladas...
O ônibus dá partida na rodoviária...
O mais não digo, as palavras pediram licença
Foram deambular pelas veredas.


(**RIO DE JANEIRO**, 04 DE MARÇO DE 2017)


Nenhum comentário:

Postar um comentário