Total de visualizações de página

sábado, 4 de março de 2017

*HORIZONTE DE LÍMPIDOS RAIOS* - IN "PARTITURAS DO ESPÍRITO - 01 DE MARÇO DE 2017** - PINTURA: Graça Fontis/POEMA: Manoel Ferreira Neto


Epigrafe:


"Plenifico a querência da omnisabedoria
Nos braços abertos da volúpia lúdica do ser verbo." (Manoel Ferreira Neto)


Nada
Mais intenso que o amor paixão
Nada
Mais inspirador que a graça-amor
Nada
Mais esplendente que a cintilância do espírito
- verbo-de-ser -
Nada
Mais revelador que a dimensão do divino
Iluminando o baldio das sinagogas do eterno
Nada
Mais po-ético que o sentimento da cáritas
Vers-ificando de sensibilidade o in-finito do Ser
Nada
Mais sublime que o espírito da po-iésis
Concebendo de orvalhos a verdade da entrega
Nada
Mais perfeito que a imperfeição contingente da felicidade
Delineando de cores vivas as buscas do paráclito
De prazeres, êxtases, volúpias, estesias
Nada
Mais estético que o amor à verdade do verbo
Uno e Verso que se projetam no outro de carências e solidão
Nada
Mais trans-cendente que a contingência de dores, sofrimentos
Projetando-se no limiar espelho dos desejos absolutos.


Se hoje é a inspiração do belo,
Que reduz o horizonte de límpidos raios do Ser,
A vida metaforiza, literaliza o momento de divin-itudes
Se hoje é a verdade do amor paixão,
Que seduz o celeste de nítidos nulos do absoluto,
Prazeres, alegrias entrelaçam-se nas rodas-vivas
De sabedorias e sapiências, atingindo o supremo
Silêncio..., essência-eidos do espírito sereno e suave
Que vislumbra, visualiza o inconsciente de sinagogas
À luz brilhante de genesis dedilhada nas cordas
Da harpa, recitando o cântico dos cânticos,
Poetizando o amor paulino


Se hoje é o templo imperfeito de mim,
Recebe a iluminação do verbo e fonte de águas,
O abismo que anuncia o perene
Alvorece na soleira da montanha,
Amanhece no limite dos pampas,
Desperta no limiar do sertão
E sou o absoluto do nada à luz
De todos os sonhos, esperanças que em mim trago dentro.


Se hoje é a inspiração do amor paixão
Alimento nos interstícios de minh´alma
Da seiva da estética dos desejos, vontades
E plenifico a querência da omnisabedoria
Nos braços abertos da volúpia lúdica do ser verbo.


(**RIO DE JANEIRO**, 04 DE MARÇO DE 2017)


Nenhum comentário:

Postar um comentário