Total de visualizações de página

quarta-feira, 8 de março de 2017

**HOMEM - IN *DIVÃ EXISTENCIAL* - 29 DE JUNHO A 03 DE JULHO DE 1989** - PINTURA: Graça Fontis/POEMA: Manoel Ferreira Neto


O amor ultrapassar
de um extremo ao outro,
no âmago das palavras,
é algo insípido: o indivíduo
não se resume em seu amor.



O espírito e suas manifestações
atravessarem de um limite a outro,
no ritmo do estilo,
é algo destilado: o indivíduo
não se resume em seu espírito.



As emoções e a felicidade do indivíduo
percorrerem de um lado ao outro,
na tonalidade da forma,
é algo... O indivíduo
não se resume em suas emoções.



Num livro de poemas, o amor surge límpido,
translúcido, mas impõe a necessidade
de transcender este tema.



Num livro de poemas, o espírito manifesta-se nítido,
mas impõe a necessidade transcender esta temática.



Num livro de poemas, o homem transcende
a si próprio;
perceber uma única dimensão
é a redução de interesses próprios,
uma ideologia nauseabunda.



É difícil a titulação de uma obra: é desejar
que uma única aresta de conhecimento
esteja presente...



(**RIO DE JANEIRO**, 01 DE MARÇO DE 2017)


Nenhum comentário:

Postar um comentário